Permissão para atirar: Partido causa polêmica na Alemanha


Presidente do Partido Alternativa para a Alemanha propõe que Polícia fronteiriça “atire em refugiados” se for necessário. O Serviço Federal para a Proteção da Constituição alemão não ve o partido como um perigo para as liberdades democráticas.

Frauke Petry, chefe do Partido Alternativa para a Alemanha (AfD, Alternativ für Deutschland, por seu nome em alemão), causou polêmica neste final de semana, 31 de janeiro, depois de afirmar em uma entrevista ao Jornal Mannheimer Morgen que “a Polícia deve fazer uso de armas de fogo se necessário”. Petry defende um maior controle da grande quantidade de refugiados, que sem nenhum tipo de registro que entra na Alemanha vindos da Àustria.

O Partido AfD que é considerado um partido populista de direita, e que recebeu cerca de 5% dos votos válidos nas últimas eleições, vem ganhando eleitores e apoio popular desde que a onda de imigrantes chegou à Alemanha.

Com esse posicionamento, o pequeno partido, atraiu para si um sem número de críticas da sociedade. Para o ministro de interior do estado Renânia do Norte-Vestfália, Ralf Jäger, do Partido Social da Alemanha (PSA), “essa é uma provação focalizada em chamar a atenção. Essa é uma estratégia de extremista”. Já um porta voz do Ministério de Interior da Alemanha informou que “naturalmente nenhum policial irá fazer uso de arma de fogo contra pessoas, que buscam proteção na Alemanha”.

As reações à proposta do partido, criado há exatos três anos, fizeram com que o vice chefe do Partido AfD, Jörg Meuthen, viesse a público contornar a polêmica criada por Frauke Petry. Segundo Meuthen, “o Partido Alternativa para a Alemanha rejeita se disparem em pessoas, que queiram entrar de forma pacífica ao território alemão.

De acordo um porta voz do Serviço Federal para a Proteção da Constituição, as declarações não são motivos para colocar o partido baixo observação do serviço secreto. O porta voz do Seriço Público complementou dizendo que, o AfD não será classificado como de extrema direita e não representa nenhum perigo aos principíos básicos da liberdade democrática.

Sobre Redação Europa
Luciano Alarcón, é jornalista formado pelo Centro Universitário de Araraquara, foi jornalista e Webmaster da Revista AméricaEconomía em Santiago do Chile, correspondente para o site www.Terra.com e freela para Folha de S. Paulo, entre outros meios na América Latina. Atualmente estuda Superior de Política de Munique e apresenta o programa de Radio "Brasilien in Focus" na Radio Lora FM de Munique. RedaçãoEuropa é a sua redação jornalística direto da Europa. Com notícias atualizadas sob o ponto de vista do jornalismo brasileiro. Porque o diferencial também é notícia, através do RedaçãoEuropa você terá acesso a matérias elaboradas e que as grandes agências não cobrem. Leia nossas matérias, retwitte, comente e informe-se. Um grande abraço sua Redação na Europa.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: